30/11/2010

Coberturas Ajardinadas

Coberturas ajardinadas

Série:  Construções de baixo impacto – Post 2.

Acho que o paraíso deve ser verde, porque todas as vezes que tenho muito verde à minha volta, a sensação é de que estou no paraíso.

Então... que tal trazer o paraíso para as grandes cidades? Cidades densas podem e devem ter grandes extensões de cobertura vegetal.



Se para muitos apenas o argumento estético e terapêutico já bastariam para o emprego das coberturas ajardinadas, imagino que a listinha de impactos positivos que preparei para este post poderá conquistar mais alguns adeptos. 

Se grande parte da cobertura das cidades se traduzem em telhados...então, reserve parte da área de cobertura para terraços planos utilizáveis ou telhado jardim. (Alexander et. al. 1977)

E nós podemos ter coberturas verdes eficientes, em qualquer escala... Sim, nós podemos.

Fontes das imagems: http://jardinagemepaisagismo.com/;
http://www.greenroofoffsets.co.uk/grx/busstop_greenroof.jpg

Ok, se você não tem disposição para cuidar da vegetação, não se preocupe. Existem espécies vegetais que não precisam de cuidado constante.

Imagens - Coberturas Verdes

A cobertura verde foi pensada inicialmente para climas frios, devido ao seu desempenho em relação ao conforto interno: sua característica isolante diminui as perdas de calor. Mas este sistema pode e deve ser utilizado em clima tropical. É preciso entender a importância da vegetação para o micro-clima urbano de clima tropical. Segundo Bustos Romero (2007) devemos considerar o benefício da vegetação na condição de filtro de ar. Sua capacidade de filtragem aumenta quanto maior for o número de folhas de cobertura por unidade de terra (árvores, arbustos e grama).
  
Cidades e Edifícios Verdes - Projetos Conceituais

Argumentos econômicos são, na maioria das vezes, muito eficientes como recursos para induzir a escolha de algum produto. Então... vamos às vantagens econômicas:

 - aumento da eficiência energética dos edifícios. Estudos mostram que as coberturas ajardinadas diminuem em 90% a ação térmica dos raios solares incidentes nas coberturas. As temperaturas no interior do edifício mostraram ser de menos 3 / 4º C quando a temperatura exterior se situa entre os 25 e 30º C (Peck et al. 1999).

-  no Inverno, sua característica isolante diminui as perdas de calor ( depende da espessura do substrato).

Fonte da imagem: http://www.sempergreen.com/
Os sistemas de cobertura verde são subdivididos em cobertura extensiva e intensiva. Simplificando o tema, as extensivas são projetadas para o cultivo de plantas, além de habitat de pássaros e insetos, mas não devem receber pisoteio(menor sobrecarga).  As coberturas intensivas são projetadas para o pisoteio (maior sobrecarga, maior espessura). O sistema pode ser executado sobre lajes ou telhados, devidamente impermeabilizados, e deve estar de acordo com a viabilidade técnica de cada empreendimento. Necessário cálculo da sobrecarga na laje ou telhado e na estrutura da edificação. 

Em reformas, se necessário, fazer reforço estrutural.

Dicas gerais:


  • Lembrar que grama demanda manutenção... muita manutenção e que podemos pensar em um paisagismo sem grama. Interessante buscar vegetação produtiva (hortaliças e plantas espontâneas).
  • Recomendação: para melhor desempenho do sistema, a estrutura de um terraço ajardinado ou telhado verde deve ser cálculada para suportar  o mesmo peso de uma laje de piso. Além disso, necessário ter em mente o reforço na estrutura do edifício, pois esta receberá sobrecarga de água, terra, vegetação e se for intensiva, pisoteio.  Contrate profissional habilitado para este fim.
  • Manta asfáltica como impermeabilizante não funciona porque a raiz perfura a manta. Necessário utilizar manta anti-raíz.
  • Cuidar da permeabilidade e drenagem da camada vegetal para evitar sobrecargas desnecessárias. 
  • Observar o arremate da platibanda para evitar infiltração e avanços das raízes.
  • Teto verde necessita manutenção, mas esta não é diferente da manutenção de um jardim convencional. A idéia para facilitar o desempenho é utilizar plantas que demandam pouca manutenção. 

Se você ainda não se convenceu dos benefícios....veja o quadro:

Vantagens das coberturas ajardinadas

  1. Aumento significativo da área verde em contexto urbano e consolidação da sua estrutura ecológica;
  2.  Importante papel na integridade e sustentabilidade dos sistemas de drenagem urbanos:
  3. Diminuição do impacto negativo da massificação das estruturas construídas em meio urbano;
  4. Aumento da atividade fotossintética que implica: aumento na produção de oxigênio, maior reciclagem de dióxido de carbono e redução no efeito estufa;
  5. Aumento da biodiversidade e dos nichos ecológicos: diversidade de cores, formas, texturas, expressões fenotípicas ao longo do ano, aumento da diversidade faunística (insetos, aranhas, pássaros), promoção do equilíbrio ecológico;
  6.   Redução do efeito de ilha de calor: redução de 681 a 1714 toneladas de emissão de gases provenientes do efeito de ilha de calor ( simulação para Toronto, se 6% da sua área total for ocupada por coberturas ajardinadas com uma espessura de 15 cm, nos próximos 8 anos) (Dunnet et al. 2004);
  7. Absorção/ Redução da poluição sonora: 10 cm de substrato implica uma redução mínima de 5 decibéis (aeroporto de Frankfurt), 12 cm de substrato – redução de 40 decibéis, 20 cm de substrato – redução de 46-50 decibéis (Dunnet et al. 2004);
  8. Absorção/ Filtragem de gases poluentes e de partículas em suspensão na atmosfera: redução de problemas respiratórios (redução de 5 a 10%), diminuição de 1 a 2º C no microclima urbano, melhoria da qualidade ambiental e de vida (Dunnet et al. 2004);
  9. Prevenção do risco de incêndio: composições florísticas que incluem plantas suculentas retardam a propagação do fogo;
  10. Capacidade de isolamento térmico: redução nas oscilações térmicas dos edifícios, redução em 12º C entre as temperaturas máximas diurnas e noturnas – (valores medidos na Alemanha), diminuição de 8% do consumo de energia elétrica destinada ao ar condicionado (Dunnet et al. 2004), conservação de energia;
  11. Possibilidade de produção de horticulturas;
  12. Benefícios econômicos/ fiscais:
·        - Criação direta e indireta de empregos, juntamente com um grande aumento na produção de plantas. (Dunnet et al. 2004).
·        - 43% Das cidades alemãs concedem incentivos fiscais para instalação de coberturas (Dunnet et al. 2004);
Fonte: http://www.neoturf.pt/main.php?id=66 – Adaptação livre


Fontes:

Machado, Luciana A. de Sá. Sustentabilidade em Assentamentos Humanos:Um estudo de caso em habitação de interesse social. Monografia de Especialização. Brasília: FAUUnB, 2009.

http://www.neoturf.pt